24.4.08

Tecnologia contra dengue


Com o crescimento da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegipty algumas soluções estão surgindo para tentar evitar que a epidemia se alastre ainda mais. Nota na Folha de SP - Novo Exame Detecta a Dengue em 15 Minutos (para assinantes) - publicada em 05/04/2008, fala de um novo método que pretende diagosticar a doença em 15 minutos. Desenvolvido pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Ensino da Escola de Medicina e Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (FUNRIO), o método é similar aos testes de gravidez encontrados em farmácias e já está sendo testado na cidade de Jardinópolis/SP. Segundo Vitor Derengoluski, gestor da fundação, o teste custa entre R$ 10 e R$ 26, é 95% confiável e está sendo usado na Europa e EUA no diagnóstico de outras doenças e agora foi adaptado para identificar a dengue.

Publicada no mesmo dia, no mesmo jornal, a notícia Embrapa Cria Larvicida Ecologicamente Correto (para assinantes), conta do produto que mata as larvas do mosquito transmissor e é inofensivo ao ser humano. Desenvolvido em 2005 pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), segundo a bióloga e pesquisadora do instituto, Rose Monnerat, o produto que inventou é feito com base na bactéria Bacilus thuringiensis usada no controle de insetos. Já no Estadão, a nota Embrapa Desenvolve Inseticida para Morador Usar em Criadouro, publicada em 29/03/2008, fala que 4 cidades do país já usam o produto: São Sebastião, cidade satélite de Brasília, Três Lagoas/MS, Sorriso/MT e Rio das Ostras/RJ. Batizado de Bt-Horus, é feito em parceria com a empresa brasiliense Bhtek e sendo inofensivo às pessoas os próprios moradores podem aplicá-lo nos focos de mosquitos.

Outra reportagem na Folha de SP - Professor Inventa Armadilha para Caçar Mosquito da Dengue (para assinantes) - publicada em 13/03/2008, fala de uma mosquitoeira (ratoeira de mosquitos) que pode ser feita a partir de materiais como garrafa PET e alpiste. Inventada pelo professor do Instituto de Microbiologia da Universidade Federal Fluminense (UFRJ), Maulori Cabral, a armadilha de capturar mosquito foi patenteada pela universidade mas pode ser reproduzida com garrafas PET, lixa, microtule (tecido usado em véu de noiva), fita isolante e grãos de arroz, alpiste ou ração para gato. A armadilha atrai o mosquito por causa da agua parada com pedaços dos grãos ou ração, se a fêmea do mosquito bota ovos, os filhotes não conseguem sair. Segundo Maulori a mosquitoeira, que tem video no YouTube e tutorial no site do O Globo (Faça Sua Mosquitoeira), foi utilizada em Saquarema/RJ onde um trabalho com escolas resultou na producao de mais de mil armadilhas.


Publicado originalmente no Yahoo! Tecnologia.

Posts relacionados:
- O webdesigner que mora no hospital
- Projeto vencedor da máquina de camisinhas na escola
- Médicos na internet
- Instituto Internacional de Neurociência de Natal
- Pele Nova ganha Finep
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Boo-Box

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO