23.9.08

Americanos e europeus no etanol brasileiro

Antes da crise financeira eram muitos os planos dos estrangeiros em projetos com etanol no Brasil. Nota no jornal Valor - ADM estreia na produção de álcool no Brasil - publicada em 28/7/2008, falou dos investimentos da gigante agrícola americana Archer Daniels Midland (ADM). Maior produtora de etanol de milho dos EUA, a companhia se tornou sócia do Grupo Cabrera, comandado pelo ex-ministro da agricultura Antonio Cabrera, inaugurando uma usina em Jatai/GO. Patricia Woertz, CEO da ADM, planejava formalizar a operação e passear na Amazônia.

Presente no Brasil como processadora de soja, a empresa americana investiria mais R$ 400 milhões na usina goiana que entraria em operação em 2010. Segundo a matéria, Jatai/GO tem quatro projetos para construção de usinas de etanol, um deles coordenado pelo grupo Cosan. Notícia no Estadão - Joint venture produzirá diesel de cana no País - publicada em 24/04/2008, contou da parceria entre a empresa americana de biotecnologia Amyris e a brasileira Crystalserv. O empreendimento previa a abertura de um centro de pesquisa e desenvolvimento em Campinas com a meta de produzir em escala um combustível compatível com motores a diesel em uso até 2010.

O diretor geral da Amyris-Cristalserv, Roel Collier, declarou que aproveitaria o corpo técnico local mas também faria intercâmbios com profissionais da Califórnia, sede da empresa. A Amyris tem como investidores os fundos Kleiner Perkins e Khosla Ventures, que apostam em empresas de tecnologia, e a TPG Biotech, dona de 70% da companhia. A tecnologia para a produção do diesel de etanol, e futuramente gasolina e querosene de aviação, foi desenvolvida na Universidade de Berkeley em 2003, inicialmente para produção de remédio contra a malária. Em 2006 os pesquisadores descobriram que os microorganismos usados para o medicamento tinham propriedades parecidas com o diesel convencional.

No fim do ano passado, notícia na coluna Mercado Aberto da Folha de São Paulo - Brenco inaugura segunda pólo de usinas no Centro-sul (para assinantes) - publicado em 16/12/2007, falou da empresa criada por investidores nacionais e estrangeiros, como Vinod Khosla, indiano radicado nos EUA e sócio da Kleiner Perkins e Steve Case, fundador da AOL. A Brenco, criada em maio de 2007, na época da reportagem comandada por Philippe Reichstul, ex-presidente da Petrobrás, inaugurou em Parnaiba/MS, seu segundo pólo álcool e energia elétrica na regiao Centro-sul. Com investimentos de R$ 1,2 bilhão para a construção de 3 usinas, previa processar 10 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e produzir aproximadamente 900 milhões de litros de álcool anidro por safra e de 132 MW de potencia instalada excedente de energia elétrica gerada pela queima de bagaço.


Posts relacionados:
- Investimentos estrangeiros no etanol
- Relator da ONU condena biocombustível
- Brasil e India
- Álcool para americano ler
- Ministro boliviano contra o etanol
- Gringos no etanol
- A maior companhia de bioenergia do mundo?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Boo-Box

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO