28.11.07

Petrobrás, Tupi e tecnologia

O anúncio da descoberta e viabilidade de exploração do novo campo de Tupi pela Petrobrás, colocou a empresa no centro do mercado do energia, pelo menos até o início da operação, previsto para 2010. Aqui no Yahoo! Noticias, a nota Projeto-piloto de Tupi deve exigir até US$ 3 bilhões, dá a dimensão do anúncio e as expectativas com o novo campo petrolífero. Vale lembrar que mesmo antes deste novo desafio, cuja exploração vai exigir uma tecnologia inédita para atuar abaixo da camada de pré-sal e de 5 mil metros de profundidade, a Petrobrás já era conhecida como uma companhia com know-how para águas profundas.

Ano passado, matéria no jornal Diário do Comércio - Petrobrás Atua no Golfo do México - publicada em 13/12/2006, fala da autorização inédita recebida pela companhia para explorar os campos de Cascade e Chinook em águas territoriais norte-americanas. A agência do governo dos EUA, Mineral Management Services (MMS), teria declarado que as novas tecnologias da Petrobrás possibilitaria um desenvolvimento acelerado e o início da produção para 2009. Nestes campos a exploração será em conjunto com a Devon Energy Corporation e preve plataformas tipo Floating Production, Storage and Offloading (FPSO) em profundidades de 2,5 mil metros. Na proposta, as novas tecnologias inéditas para os americanos são: FPSO com turret desconectável, que permite sua remoção durante a passagens de furacões, transporte de óleo por navio aliviador, bombas submersas, risers auto-sustentáveis, estacas torpedos e linhas de ancoragem de poliéster.

Entre as inovações inusitadas da empresa brasileira, o site Plano de Negócios - Profissionalização une pequenas aos gigantes de petróleo e gás - conta sobre a contratação de um grupo de artesãos do Vale do Açu/RN, que ajudaram a substituir o alumínio por mantas tecidas com fibras da carnaúba e impermeabilizadas com cera da própria palmeira para proteger o isolamento térmico de dutos que conduzem vapor. Em fevereiro a empresa ficou em segundo, atrás da Shell, em um levantamento feito pela consultoria espanhola Managemente & Excellence (M&E) entre empresas do setor.

Nota no jornal Gazeta Mercantil - Petrobrás, no Topo do Tanking Mundial de Sustentabilidade (para assinantes) - publicada em 22/02/2007 fala da redução do consumo de energia, emissão de poluentes e diminuição de vazamentos de óleo, de 2,6 mil em 2001 para 269 em 2005. O sistema online de compras também foi avaliado com destaque, o estudo considerou um dos mais transparentes e sofisticados do mundo. Em 30 de agosto, a Petrobrás foi manchete na capa do jornal americano Wall Street Journal - How a Sleepy Oil Giant Became a World Player - citando inclusive o Etanol e Bio-combustíveis. Segundo o jornal americano a técnica de limpeza de dutos desenvolvida pela Petrobras inspirada por um girino serviu para exemplificar a atuação da empresa no domínio da tecnologia.

Publicado originalmente no Yahoo! Tecnologia.

Posts relacionados:
- Brasil Tecnológico no México
- Etanol e o monopólio da Petrobras
- Brasil na Índia e vice-versa
- A maior companhia de bioenergia do mundo?
- Mais tecnologia do álcool para exportação

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Boo-Box

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO